Como escrever mesmo trabalhando 9h por dia, morando sozinho e tendo que resolver várias coisas na semana?

Olha só, essa dificuldade é bem comum no nosso país, infelizmente. Por aqui nós ainda estamos abrindo caminho para a escrita como profissão e, por isso, acabamos tendo que conciliar nossa produção com outras atividades.

Realmente não há um caminho fácil e essa vida exige certos malabarismos, mas tenho algumas dicas que podem tornar o processo um pouco menos sofrido. Tenha em mente que essas são coisas que funcionaram (e que funcionam) pra mim, quando me vejo sem tempo ou energia para escrever… o seu caso pode ser diferente, então fique à vontade para adaptar essas dicas como achar melhor, ok?

Pra começar, confira a sua agenda e veja onde há um tempinho vago para escrever. Uma hora pra produção seria o ideal.

Eu sei que muita gente reserva a noite pra escrever, mas a minha experiência diz que isso não é bom pra grande maioria das pessoas. Após um dia de trabalho e estresse, é provável que você esteja destruído e por isso não conseguirá produzir direito. O que recomendo, então, é acordar uma hora mais cedo e já sentar pra escrever, antes de qualquer outra coisa. Ao cumprir a sua tarefa mais importante do dia logo de cara, você ficará mais energizado e motivado… e não precisará se preocupar com outros percalços que podem aparecer com o passar das horas.

Eu sei que acordar cedo é chato, mas o esforço realmente compensa.

Outra coisa é manter o hábito. Não adianta reservar um horário pra escrever só de vez em quando. Tem que ser todo dia. Tipo um ritual. Isso vai te mostrar que o livro está ganhando corpo, avançando, chegando perto do final. E isso também ajuda a motivar.

Você também deve eliminar as distrações. Reservou aquela horinha pra escrita? Então é pra escrita. Nada de e-mail, nada de redes sociais, nada de conferir as notícias rapidinho.

Se você fizer tudo isso, então terá 5 horas semanais de escrita (isso se você não quiser escrever nos finais de semana). Supondo que você escreva cerca de 500 palavras em uma hora, terá 2.500 palavras semanais. São 10 mil palavras em um mês. Em 5 meses a primeira versão da sua obra estará pronta. Meta alcançável, certo?

Você também pode arranjar pequenos espaços a mais na agenda pra escrever, o que aceleraria o processo todo. Mas essas sessões extras devem sempre complementar a sua rotina diária. Não é trocar a escrita matutina por essa sessão extra, é somar. Aquela produção logo cedo deve ser sagrada pra você, combinado?

Vai por mim, eu sei que nos primeiros 10 dias será um inferno e você vai querer morrer, mas depois acostuma e vai tranquilo hehe!

Espero que essas pequenas dicas possam ajudar. Eu já sofri isso na pele e conheço bem essa dor, mas com força e foco dá certo. Se eu consegui, você certamente consegue também! =)

Um abraço e boa escrita.

Compartilhar agora!

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

O grande antagonista

Toda história tem um antagonista, alguém que se coloca contra os objetivos do herói e o atrapalha em seu caminho....

Ninguém vai salvar você

Quando a gente está criando uma história mais tradicional, uma das coisas mais importantes é pensar em um protagonista realmente...

A sua ideia não vale nada

Quando a turma que adora escrever ou contar histórias se encontra (seja pessoalmente ou na internet), não demora pra conversa...

Como escrever conteúdo legal para o meu blog?

Recebi essa pergunta sobre conteúdo faz uns dias lá no meu Instagram e achei muito pertinente. Só que a resposta...

Por que não escrevo mais sobre o ofício de escrever

Se você acompanha o meu trabalho, deve ter percebido que já faz um bom tempo que eu não escrevo um...

Sobre vaidade e gratidão no meio criativo

Eu adoro o trabalho criativo. Sério. Eu meio que sou imprestável para tudo o que não envolve usar a criatividade...

Homunk: seu estúdio virtual

Uma das coisas que eu mais gosto disso de ter um site é o contato com o público. Sério, é...

Ninguém quer ler as suas m#rd@s

Em uma tradução livre, esse aí é o título do primeiro livro que li em 2018... e que livro sensacional....