Como ter uma rotina de criação?

Essa questão da rotina é uma dúvida que volta e meia aparece por aqui e eu entendo que, definitivamente, é um dos maiores desafios ao se lançar em um projeto criativo mais longo (como um livro).

Pra começar, eu diria pra você não dar muito ouvido a essa galera por aí que afirma que consegue desenvolver uma rotina criativa com a maior facilidade do mundo.

A coisa não funciona assim.

É claro que há exceções e temos alguns raros virtuoses por aí. Mas não é o que acontece com a grande maioria de nós.

Quando você escuta alguém dizer que consegue produzir criativamente sem nenhum grande esforço, é bem provável que se trate do velho conto do escritor-gênio, sobre o qual já falei AQUI.

A minha experiência me diz uma coisa um pouquinho diferente: a rotina é algo que você estabelece em um esforço constante, um pouquinho a cada dia.

No começo ela vai parecer estranha e realmente difícil. Você vai esquecer, vai se sentir desmotivado, vai se preocupar com outras coisas, vai arranjar milhares de desculpas para não cumprir as suas obrigações rotineiras. Faz parte. E você deve insistir mesmo assim.

Após uns 10 dias seguindo a sua rotina (mesmo que seja aos trancos e barrancos), você irá notar algo fantástico. De repente vai parecer que tudo aquilo não é mais tão difícil e se ater à sua produção começará a ser normal.

Mas é claro que existem algumas dicas para passar por esse processo de forma um pouco menos sofrida. Aí vai o que eu faria se estivesse no seu lugar:

  • Estabeleceria um local de trabalho e produziria todo dia nesse mesmo local.
  • Estabeleceria um horário definido de trabalho, igual todos os dias. Eu até colocaria na agenda.
  • Educaria as pessoas ao meu redor sobre a minha nova rotina. Isso pode parecer bobinho, mas é crucial para o sucesso.
  • Estabeleceria uma meta diária.
  • Teria uma visão de onde quero chegar, antes de começar (Por ex: quero escrever um romance? Quantas páginas? Para qual público? Com qual estilo?).
  • Não forçaria demais. Eu entenderia que estou em uma maratona e a forma mais rápida de desistir de uma maratona é queimar todo o combustível no começo.

E é isso aí.

Aceite que uma nova rotina é algo que você deve construir, entenda que será difícil no começo mas que, se você fizer a sua parte, logo estará acostumado e parecerá como uma segunda natureza.

Ah… vale dizer que a rotina de produção criativa pode mudar bastante dependendo da natureza do seu projeto. Alguns projetos mais rápidos demandam uma abordagem diferente. Mas isso a gente vê em outro post! 😉

Compartilhar agora!

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

Devo escrever de forma pessoal?

Decidi escrever esse texto porque tive uma conversa interessante com um leitor aqui do blog. Basicamente ele me perguntou sobre...

O grande antagonista

Toda história tem um antagonista, alguém que se coloca contra os objetivos do herói e o atrapalha em seu caminho....

Ninguém vai salvar você

Quando a gente está criando uma história mais tradicional, uma das coisas mais importantes é pensar em um protagonista realmente...

A sua ideia não vale nada

Quando a turma que adora escrever ou contar histórias se encontra (seja pessoalmente ou na internet), não demora pra conversa...

Como escrever conteúdo legal para o meu blog?

Recebi essa pergunta sobre conteúdo faz uns dias lá no meu Instagram e achei muito pertinente. Só que a resposta...

Por que não escrevo mais sobre o ofício de escrever

Se você acompanha o meu trabalho, deve ter percebido que já faz um bom tempo que eu não escrevo um...

Sobre vaidade e gratidão no meio criativo

Eu adoro o trabalho criativo. Sério. Eu meio que sou imprestável para tudo o que não envolve usar a criatividade...

Homunk: seu estúdio virtual

Uma das coisas que eu mais gosto disso de ter um site é o contato com o público. Sério, é...