E agora, Instagram ou Snapchat?

Compartilhar agora!

Texto publicado no Update or Die.


E o Facebook deu um duro golpe no Snapchat!

Ontem, usuários do Instagram foram surpreendidos com uma novidade: a possibilidade de criar uma história, por meio de fotos e vídeos, que ficam disponíveis por apenas 24 horas.

Em outras palavras, o Instagram copiou uma função do Snapchat – e note como as duas redes apostam em histórias! 😉

Claro que a nova funcionalidade ainda tem menos opções e não entrega a mesma experiência do app do fantasminha… mas está muito próxima. Próxima demais.

Ontem mesmo eu já vi vídeos de gente famosa deletando o snapchat de seus celulares, em tempo real, tudo transmitido via Histórias do Instagram.

A treta começou.

Mas o que podemos esperar daqui pra frente? Seria o fim do Snapchat e mais um passo do Facebook rumo à dominação do mundo das redes sociais?

Calma.

Sem sombra de dúvidas muita gente vai focar esforços e conteúdo apenas no Instagram. Afinal, vamos concordar que administrar uma grande quantidade de apps pode ser bem cansativo. Mas não me parece que devemos colocar o Snap no caixão ainda.

Veja bem, quem usa as redes para alavancar marcas (seja marca pessoal ou business mais tradicional) tem nas Histórias a principal função do Snapchat. Claro que ali também dá pra conversar com os seguidores de uma forma mais privada, responder questões, fazer intervenções bacaninhas nas imagens e tudo mais. Só que 80% das vezes as marcas usam apenas a função Histórias. Fato.

Certamente será esse público o primeiro a abandonar o Snapchat. Ainda mais se o seu target não for composto das camadas mais jovens da população (que dominam o Snap).

Outro ponto a favor do Instagram, quando se trata de negócios, é que ali é muito mais fácil mensurar o público. As marcas conseguem dados diretos sobre seguidores, visualizações, likes, etc.

Mas, ao mesmo tempo, o fato de não termos isso no Snapchat é uma força do fantasma. Como eu já disse nesse outro texto aqui, o fato de você não saber quantos seguidores os outros possuem é bastante liberador e te deixa solto para ser você mesmo, sem comparações.

Vamos lembrar, também, que o Instagram já está com anúncios comendo solto e que ele pertence ao Facebook, uma empresa famosa por mexer nas regras do jogo para seu próprio benefício.

Como fica o seu caso nisso tudo?

Depende.

Se você busca algo mais solto e foca no relacionamento, acho que o Snapchat continuará sendo a sua melhor opção.

Já se você busca uma rede social que seja uma extensão de alguma atividade que você desempenhe, talvez vá preferir focar no Instagram.

Eu me encaixo no último caso. Uso as redes para dividir dicas e técnicas de storytelling e também para indicar e comentar livros de não-ficção, então, com toda certeza focarei a atenção no Instagram pelos próximos dias (aliás, me segue lá: @nanofregonese)!

Só que eu nem penso em deletar meu perfil de Snapchat. Afinal de contas, essa foi uma bela jogada do Facebook, mas ainda resta saber como o fantasma reagirá.

Tem mais jogo pela frente.

Your move, Snapchat.

Compartilhar agora!

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

Por que as pessoas leem?

Esqueça respostas bonitinhas como: estilo, conhecimento, bom-gosto literário, informação, criatividade e todas as demais que ficariam ótimas em um programa...

As vantagens de escrever sobre o que você sabe

Já falamos aqui sobre a importância de se escrever sobre aquilo que se ama, além de se escrever sobre aquilo...

A sua visão é única

De vez em quando eu encontro pessoas que querem escrever um livro, mas ficam com medo de começar porque acham...

Escreva além do que você sabe

Um conselho famoso encontrado em diversos livros e cursos de escrita criativa é o tal do escreva sobre o que você...

Sangrar na página

"Tudo o que você precisa fazer é sentar em frente à sua máquina de escrever e sangrar". Pesado, né? Essa...

Dá pra escrever com verdadeira indiferença?

"Não se pode escrever nada com indiferença". A frase é da Simone de Beauvoir e reforça aquilo que falamos no...

Crie com amor

Eu não vou mentir pra você: eu não amo tudo o que eu crio. Como eu trabalho com escrita (além...

Escrever é difícil

Escrever não é fácil. Pode vir a ser fácil... em alguns momentos. Mas nunca será totalmente livre de sofrimento. Sentar...