Homunk: seu estúdio virtual

Uma das coisas que eu mais gosto disso de ter um site é o contato com o público. Sério, é muito comentário legal que eu recebo. Tem sugestões de livros, dicas de pauta, incentivo e, claro… histórias.

E uma das histórias que mais me chamou a atenção recentemente foi a do Rodrigo.

Sim, pois o mais comum é que eu converse por aqui sobre livros ou roteiros, mas o Rodrigo me trouxe algo diferente. Embora esteja dentro da área criativa, confesso que me surpreendeu.

O Rodrigo veio falar comigo sobre um estúdio virtual de escrita!

Ele me contou que tinha há muito tempo o desejo de criar um programa voltado a escritores. Algo que tivesse tudo o que os melhores softwares internacionais têm, mas que fosse brasileiro, para escritores brasileiros. Assim nasceu o Homunk.

Obviamente que eu me interessei pelo assunto, mesmo não entendendo nada sobre programação. Então pedi para que ele me falasse mais sobre a sua criação e sobre quais funcionalidades o Homunk possui. Na verdade só não testei ainda porque, por enquanto, não há disponibilidade para o sistema operacional que eu uso, mas isso também está sendo resolvido pelo Rodrigo.

Mas sobre isso vou falar no futuro, depois de testar pra valer. Hoje eu gostaria de falar um pouquinho sobra a história por trás do Homunk e pedir que, se alguém por aí por acaso já tiver utilizado, que entre em contato pra me dizer o que achou, ok?

Vale dizer que não estou sendo pago pra falar sobre o programa nem nada do tipo. Mas achei realmente legal que um escritor (e leitor aqui do site) tivesse pensado nessa solução e colocado a mão na massa. Sendo assim, fica a dica para todos que estão procurando um editor de texto bem caprichado! 😉

Vamos lá…

Tudo começou quando o Rodrigo estava se preparando para escrever o seu primeiro livro técnico. Assim como todos nós, ele começou o processo pelo Word, mas, como é um cara que entende de programação, logo identificou um monte de probleminhas.

Segundo ele me explicou, o Word não é ruim, mas é feito com foco na visualização do resultado final do texto, o que muitas vezes faz o programa tomar certas medidas erradas. É como se ele tentasse adivinhar o que você quer, mas adivinhasse errado.

Outro problema foi quanto à organização dos capítulos, parágrafos, etc. Para encontrar algo dentro do seu texto, você precisa usar a barra de rolagem, o que é um saco em livros mais longos, não é?

Sem falar da formatação, que muita gente não faz ideia de como usar e, mesmo quando faz, ainda tem que se incomodar parando toda hora para explicar para o programa o que é o quê.

Isso tudo fez o Rodrigo abandonar o Word e escrever direto em HTML puro, o que fez a experiência de escrita ser bem mais rápida e simples, só que tinha um probleminha: a editora queria o livro em um determinado formato. Lá foi o Rodrigo se virar para ajustar tudo depois.

Enfim, essas foram apenas algumas das dificuldades que ele encontrou ao escrever sua primeira obra. Então, quando veio a oportunidade de escrever um novo livro, ele imediatamente lembrou de tudo o que havia passado e de como foi um saco lutar contra o programa. Aí veio o estalo.

E se ele se dedicasse a criar um programa mais adequado às necessidades reais dos escritores brasileiros?

Assim nasceu o Homunk, com base em uma necessidade individual, mas que , com toda certeza, era uma necessidade dividida com milhares de outros profissionais por aí. Isso fez o Rodrigo investir pra valer na ideia, com pesquisas, testes, inovação, etc.

Mas o que é o Homunk, afinal de contas?

O Rodrigo me explicou que se trata de um estúdio de escrita voltado para a eficiência do escritor. Algumas características que o tornam diferente dos outros editores de texto são:

  • Focar na escrita. O texto é o mais importante.
  • Reduzir distrações e facilitar a escrita seja dia ou noite (tem um modo noturmo para quem gosta de escrever à noite e não quer agredir a visão, o que eu acho simplesmente sensacional!!!!!!)
  • Facilidade para escrever tabelas simples.
  • Facilidade para incluir/extrair e trocar imagens com qualidade full.
  • Facilidade para incluir e reorganizar conteúdo vinculado. Por exemplo: digamos que você incluia um texto explicando uma tabela, aí você cria um tópico contendo o texto, a tabela e, se necessário, uma imagem e um título opcional. Ao reorganizar um dos elementos, o restante vai junto.
  • Sistemática de banco de dados, onde se guardam versões dos conteúdos para você poder voltar sempre que quiser, sem perigo de perder material.
  • Facilidade para reorganizar o conteúdo sem precisar ficar rolando tela nem copiando texto.
  • Simplificar um problema citado pelo Stephen King em Sobre a Escrita: esquecer personagens. Aqui, os personagens, lugares e referências cadastradas são destacadas no texto.
  • Facilidade para exportar o conteúdo em vários formatos, usando formatação padronizada baseada nas marcações digitadas pelo escritor – assim fica simples de gerar o ebook para auto-publicação em marketplaces variados ou então gerar um arquivo .doc para as editoras.

Isso aí em cima são apenas alguns destaques do programa. O Rodrigo me deu muitos outros detalhes e me explicou que novas funcionalidades virão por aí, como armazenamento em nuvem, espaço para mapas, multimídia e muito mais.

É algo muito legal de verdade, o único porém é que no momento existe apenas para Windows Desktop. Só que em breve estará disponível para Mac, Linux e Windows universal (ou seja, vai rodar em qualquer dispotivo com Windows).

Como eu trabalho com Mac, ainda estou esperando essa versão nova para poder testar com calma. E claro que, se eu realmente curtir, voltarei aqui para dar maiores detalhes.

O Homunk tem uma versão LITE gratuita que não necessita registro, uma opção para testar um DEMO da versão PRO sem limitações por alguns dias (LITE com registro), e uma versão PRO com tudo ativado. Você pode saber mais a respeito clicando AQUI.

Testarei muito em breve e, caso você decida experimentar antes, não deixe de vir falar comigo e dizer o que achou.

E por hoje fica essa dica. Desejo muito sucesso ao Rodrigo e que ele possa seguir tornando a nossa vida mais fácil.

Boa escrita!

Compartilhar agora!

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

Sobre vaidade e gratidão no meio criativo

Eu adoro o trabalho criativo. Sério. Eu meio que sou imprestável para tudo o que não envolve usar a criatividade...

Homunk: seu estúdio virtual

Uma das coisas que eu mais gosto disso de ter um site é o contato com o público. Sério, é...

Ninguém quer ler as suas m#rd@s

Em uma tradução livre, esse aí é o título do primeiro livro que li em 2018... e que livro sensacional....

Para criar uma história incrível em 2018…

Enfim chegamos ao último dia do ano! Não sei pra você, mas pra mim 2017 foi bastante desafiador. Como uma...

Vai escrever um livro em 2018?

Olha que iniciativa legal da Amazon! Pensando em quem tem o sonho de escrever um livro e já colocou esse...

The Black Monday Murders: todos louvem o deus dinheiro

Texto publicado no Update Or Die. 1929, quebra da bolsa de valores de Nova York, também conhecida como a Grande Depressão....

The Punisher: a melhor e mais ousada série da Marvel

Texto publicado no Update Or Die. Embora a série traga como título o codinome do anti-herói, ela poderia muito bem...

MINDHUNTER: QU’EST-CE QUE C’EST?

Texto publicado no Update Or Die. Sim, a série é sobre psycho killers. Mas, ao contrário do que diz a...