QUILL: Somos Aquilo Que Escrevemos

Publicado em Portugal no ano de 2016, QUILL utiliza algumas das principais técnicas de storytelling aplicadas à produção literária.

Enquadrada no gênero de Fantasia Urbana, esta obra foi profundamente inspirada nos trabalhos de outros autores do gênero, como Neil Gaiman e Alan Moore, e é recheada de referências à cultura pop. Consegue identificá-las?quill2a

Adam Quill é rico e famoso, o novo escritor do momento, um “astro do rock da literatura”. Pelo menos era nisso que acreditava, até o mundo deixar de se lembrar dele.

Sofrendo com o anonimato, Adam depara-se com as personagens dos seus livros, vivas e em carne e osso – o que, tendo em conta o tipo de histórias que escreve, não é nada animador.

Conforme mergulha cada vez mais profundamente no mistério, Adam descobre que está na mira de um velho e recluso escritor que procura a imortalidade ao roubar a alma e a imaginação de jovens artistas. Inicia-se, então, uma disputa que só terminará no local de onde emana toda a força criativa, um local capaz de mudar a realidade: o Mundo de Tinta.

Escritores lendários, personagens literárias, deuses antigos, rituais místicos: tudo acaba por se misturar em um confronto terrível que revela não apenas a natureza da existência, como também a do próprio Adam.

Saiba mais sobre a obra no site da editora ou assista ao meu vídeo: