O conselho de Churchill para todos os criadores

Compartilhar agora!

Recentemente meu pai me deu de presente os dois volumes de Memórias da Segunda Guerra, de Winston Churchill. Além de ter ficado absurdamente feliz, esse presente me deixou uma coisa bem clara:

Que, além de um político, estadista e orador brilhante, Churchill também era um criador e um criativo. Ele tinha verdadeira paixão pela pintura e era um escritor de muito talento, tendo recebido um Prêmio Nobel de Literatura.

Sendo assim, Churchill conhecia as dores e os prazeres do processo criativo. Certa vez ele disse:

Para começar, o seu projeto é um brinquedo e uma diversão. Então ele se transforma em uma amante, então em um mestre e então em um tirano. A última fase ocorre quando você, prestes a fazer as pazes com a sua servidão, mata aquele monstro e mostra seu feito ao público.

É isso aí.

O prazer do impulso criativo é parte do processo, claro. Mas há um bom tanto de suor e lágrimas envolvido em tudo o que vale a pena ser criado. E, ao final, nós precisamos soltar nossa criação para o mundo. Ela de nada servirá se continuar trancada em nossas gavetas.

E se até um cara como Churchill sofria com isso, então estamos no caminho certo!

Compartilhar agora!

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

Por que as pessoas leem?

Esqueça respostas bonitinhas como: estilo, conhecimento, bom-gosto literário, informação, criatividade e todas as demais que ficariam ótimas em um programa...

As vantagens de escrever sobre o que você sabe

Já falamos aqui sobre a importância de se escrever sobre aquilo que se ama, além de se escrever sobre aquilo...

A sua visão é única

De vez em quando eu encontro pessoas que querem escrever um livro, mas ficam com medo de começar porque acham...

Escreva além do que você sabe

Um conselho famoso encontrado em diversos livros e cursos de escrita criativa é o tal do escreva sobre o que você...

Sangrar na página

"Tudo o que você precisa fazer é sentar em frente à sua máquina de escrever e sangrar". Pesado, né? Essa...

Dá pra escrever com verdadeira indiferença?

"Não se pode escrever nada com indiferença". A frase é da Simone de Beauvoir e reforça aquilo que falamos no...

Crie com amor

Eu não vou mentir pra você: eu não amo tudo o que eu crio. Como eu trabalho com escrita (além...

Escrever é difícil

Escrever não é fácil. Pode vir a ser fácil... em alguns momentos. Mas nunca será totalmente livre de sofrimento. Sentar...