Você não é um gênio incompreendido porcaria nenhuma

Vamos falar sobre um comportamento perigoso e destrutivo, que acontece com mais frequência do que a gente imagina e que é responsável por transformar pessoas criativas em seres amargurados: a ideia errada de que você é superior, mas incompreendido.

Todos nós, em um momento ou outro da vida, somos tomados pela inveja.

Ela pode aparecer naquele forma menos problemática, na qual desejamos para nós aquilo de legal que o outro tem e aí usamos isso como combustível…

…ou pode vir na forma destruidora, na qual ficamos irritados com o mundo porque não conseguimos conquistar aquilo que desejamos e aí passamos a querer que mais ninguém tenha sucesso.

Nessa hora surgem pensamentos sinistros como…

“Eu sou melhor que esse cara aí. Ele só deve ter conseguido publicar porque pagou”.

“Esse youtuber de merda aí só conseguiu lançar esse livro porque é famoso, pois ele mal sabe escrever”.

“Essa aí só alcançou o sucesso porque flertou com o editor”.

E, na minha opinião, o mais perigoso pensamento de todos:

“O público é burro. Eles não entendem a genialidade do que escrevo. São todos imbecís que só querem saber de ler 50 Tons de Cinza”.

No instante em que você pensa isso, você está amaldiçoado. Você se colocou contra as pessoas para quem escreve. Você sacrificou a sua criação em nome do ego. Você perdeu aquela luz de alegria que preenche todo verdadeiro criativo.

Sim, eu sei que o caminho é difícil. Eu sei que nem todos conseguirão ganhar a vida com escrita e criatividade e eu também sei que tem gente que merece menos fazendo sucesso aí… mas a vida não é um jogo de merecimento.

A vida é luta, teste, mudança e superação.

A vida é um jogo de poker com cartas diferentes para cada um de nós.

Ao invés de lamentar, faça o melhor que puder com as cartas que tem. E aproveite o jogo.

Você não é um gênio. Os outros não te devem nada. Está tudo nas suas mãos.

Quando estiver puto da cara, lembre que a vida não é justa, mas ainda é bela! 

Compartilhar agora!

Related Posts

  1. É. Eu confesso que penso muito isso, maldito 50 Tons De Cinza. Quem nunca? Escritor é uma raça invejosa por natureza. Mas realmente, temos que aproveitar nossa criatividade e curtir o que fazemos, não há nada melhor do que não orgulhamos de nossos mundos. Daqueles que criamos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Posts Recentes

O seu texto é útil?

A atenção se tornou um dos nossos ativos mais valiosos. Somos, a todo momento, impactados por centenas de informações e...

Contar uma história é como lutar boxe

Você já assistiu a uma luta? Já vibrou com a dança que ocorre no ringue e torceu por um nocaute?...

Ainda correndo atrás do sonho? Está na hora de acordar

“Nano, o que você tem contra sonhos? Você é um velho amargo de coração negro?”. Não (pelo menos eu acho...

Uma única venda vale mais que um milhão de visualizações

E vamos para a polêmica do dia... Você já me viu falar aqui sobre distribuição gratuita de conteúdo. .Meu, você...

Você já se perguntou o storyline da sua… carreira?

Se você me acompanha há algum tempo, já deve saber da importância da storyline - aquela frase que resume a...

Você não está com vergonha de divulgar. Está com vergonha de valorizar o seu trabalho

Um dos problemas que mais vejo aqui é gente com medo de vender. Sim, vender (e vender não precisa necessariamente...

Você nunca será bom o suficiente. Faça assim mesmo

Percebeu quanta gente fica pelo caminho por medo de não ser boa o suficiente? É aquele medo de não receber...

Como fazer alguém desejar ler o seu texto em apenas uma frase

Na verdade essa questão me apareceu em forma de pergunta nas nanoconsultorias aqui da página. Um seguidor quis saber como,...