Você não vai agradar todo mundo

Estou escrevendo esse post no meu escritório novo.

Caso você me acompanhe há algum tempo, é provável que saiba que estou com um filhote vindo aí e, por isso, migrando para um apartamento um pouco maior, com um home office maior também.

Agora posso escrever em um local mais clean, amplo e com um janelão que me traz uma sensação ótima. Sério, sinto que essa mudança terá um impacto super positivo na minha produção.

Como eu andava animado com isso, resolvi compartilhar o momento fazendo uma perguntinha lá no Instagram. O resultado foi esse que você viu aí em cima!

99% das pessoas gostaram do novo escritório.

1% não gostou.

Como eu sou um ser-humano, é claro que, ao invés de focar no lado positivo da coisa, eu não parei de olhar para aquele gritante 1% ali. Que merda, né? Mas somos assim mesmo, fazer o quê?

Eu estava animado, dividindo um momento importante da minha vida e, mesmo assim, alguém não gostou do que eu estava me esforçando tanto pra fazer.

Frustrante, certo?

Com certeza é. Ainda bem que a escrita me ensinou algumas coisas ao longo dos anos e, uma das mais importantes, foi: você nunca vai agradar a todos.

Não importa o quanto você estude, pesquise, edite, aperfeiçoe. Você nunca, nunca, nunca vai agradar todo mundo. E tudo bem.

Somos seres complexos e incompreensíveis, cheios de variáveis, influências e repertórios muito próprios. Tudo isso se mistura para criar nossos gostos e preferências (que também podem mudar de uma hora para outra) e é o que torna impossível conseguir aprovação plena.

Na verdade, isso pode ser uma coisa positiva e libertadora.

No meu caso, claro que a princípio eu fiquei me perguntando o que teria de ruim no meu escritório para conseguir aquele 1% de rejeição. Mas, depois, passei a achar bacana o fato de alguém ter se expressado daquela forma. Talvez a pessoa não goste de janelas, ou de uma pegada clean, ou de madeira. Vai saber? O que importa é que eu vi que meus seguidores se sentem livres para dar suas opiniões e isso é valioso pra caramba.

No fim das contas, eu gostei muito do meu escritório, assim como gosto dos meus textos. Evidente que procuro sempre fazer melhor e conseguir alcançar mais pessoas, mas não posso perder de vista que devo agradar a mim mesmo antes de qualquer coisa.

O que quero dizer com isso tudo é que o seu livro, roteiro, marca ou projeto terá rejeição. De uma forma ou de outra ele terá rejeição. Por isso insisto para que você sempre entenda o porquê de estar fazendo o que faz e quem você quer alcançar com isso.

Se você está feliz com o resultado e se as pessoas com quem quer se conectar aprovaram, realmente faz diferença se o resto do mundo não gostar?

Pense nisso e se liberte.

Compartilhar agora!

Related Posts

  1. Olá Nano, tudo bem!

    Eu particularmente gostei da mudança. Bem como gostei demais do artigo proposto. Quando nos dispomos a focar nosso trabalho com muito amor, o resultado virá, ainda que nunca agradaremos a todos! Sucesso! Forte abraço!

  2. Olá Nano!
    Seu escritório ficou incrível haha
    Concordo que jamais vamos conseguir agradar todo mundo. E aí trago uma questão: na nossa escrita, até que ponto devemos levar em consideração a opinião contrária de alguém ou não?
    Porque às vezes é difícil identificar quando é só capricho ou quando realmente, por mais que alguém me diga o contrário, achar que não deva ser alterado.
    Sucesso pra você! Um ano de muitas conquistas e que o filhote traga muitas alegrias (:
    Forte abraço!

  3. Boa tarde, Nano!
    Ficou muito bacana o seu cantinho! Quem dera eu tivesse um assim. Escrevo, literalmente, no meio da “bagaceira”. Gente vendo TV, conversando, interrompendo…até que todos dormem.
    Com relação ao 1%, a gente foca nisso mesmo…rs
    É como quando a gente começa a escrever. Há duas percepções: ser famoso; ninguém vai ler/gostar.
    Quando passa a receber ótimas opiniões, fica surpreso e muito feliz.
    É claro que uma crítica construtiva ou outra ajudam a evoluir…contudo, aparecem aquelas críticas doloridas, que não ajudam a gente em nada, mas tão somente magoar e colocar para baixo.
    E por mais que elas sejam o esforço de alguém no sense ou frustrado, acabam impactando na gente, não é?
    Aqui deixo uma frase que ouvi de alguém sensato e que pode servir àqueles que gostam de ser negativos: “se não puder dizer algo de positivo para uma pessoa, abstenha-se de dar a sua opinião”.
    Ou libertemo-nos como vc propõe.

Deixe uma resposta para Flaertes Rodrigues Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

Como publicar na Amazon sem enrolação

Acho que um dos assuntos sobre os quais mais recebo perguntas é quanto à publicação na Amazon. Nano, vale a...

Como calcular o número de páginas do seu livro

Nano, quantas páginas de livro equivalem a uma página de Word? Nano, meu livro tem 2379817463693 caracteres com espaço, quanto dá em páginas? Nano, calcula aí as páginas do meu livro... foram 123 e meia no Google Docs. Então, moçada... vou contar um segredo: eu odeio matemática e a última coisa que farei na vida...

Você não vai criar o próximo Harry Potter… e tudo bem!

Não adianta. Todos nós, escritores, sonhamos em escrever o próximo mega bestseller mundial que nos trará fama e dinheiro. Em...

Novo ano. Novo estilo.

Se você acompanha o meu trabalho, deve saber que a maior parte do meu contato com o público se dá...

Você não vai agradar todo mundo

Estou escrevendo esse post no meu escritório novo. Caso você me acompanhe há algum tempo, é provável que saiba que...

O que há por trás de um título?

Títulos parecem ser uma grande preocupação dos escritores iniciantes. Sempre que falo sobre o assunto, recebo muitos comentários e bastante...

Como registrar o meu livro?

Se você também tem dúvidas sobre como registrar o seu original (o seu livro), não tema. Finalmente decidi elaborar um...

O Livro Negro da Paternidade: uma experiência que você nunca terá novamente

É nisso que estou trabalhando no momento, nesse que talvez seja a obra (e a experiência) mais maluca da minha...