Você tem ideias demais ou atitudes de menos?

De repente você se vê invadido por um fluxo de ideias sensacionais para livros, contos, seriados, novelas, podcasts, tirinhas de jornal etc etc.

Que maravilha. O universo te presenteou com o dom da criatividade e por isso você é especial, certo?

Bem, pra começo de conversa, não, você não é especial. Ninguém é. Então vamos voltar a colocar os pés no chão e conversar aqui no mundo real, combinado? 😉

Ter a criatividade aguçada realmente é uma coisa boa. Além de que, quanto mais você estimulá-la, mais forte ela vai ficar. Sendo assim, perceber que a sua está fervilhando pode ser muito empolgante. Valorize e aproveite a sensação para produzir o máximo que puder.

Dito isso, saiba que existe um lado negro no excesso criativo.

Dá uma olhada se você reconhece essa situação:

Você é invadido por uma ideia genial para um livro, então senta e começa a escrever. Nos primeiros dias a energia está lá no alto e você produz como se não houvesse amanhã. Após uns 3 ou 4 dias a coisa não é mais novidade e começa a ficar um pouco mais difícil e, claro, chata. Logo você começa a questionar se aquela é a ideia certa pra você.

Eis então que a sua grandiosa criatividade entra em ação e aparece com outra ideia genial. E essa, sim, tem futuro. Desse modo, você interrompe a história que já estava escrevendo e começa a rascunhar a nova. E ela é maravilhosa… no começo.

Infelizmente, dentro de alguns dias todo aquele ciclo mencionado acima acontecerá novamente. Como resultado, você atravessará o ano cheio de ideias e de começos, mas sem ter concluído absolutamente nada.

Essa é a derrota do criativo.

“Mas, Nano, eu não sou um derrotado. Eu sou tão criativo, tão cheio de ideias…”

Dane-se.

Eu já falei isso aqui e não vou cansar de repetir: a sua ideia não vale nada e você é tão bom quanto o último texto que escreveu. Quanto o texto que escreveu, entende? Não quanto o último texto sobre o qual pensou… não quanto a última ideia que brotou na sua cabeça. Quanto aquilo que efetivamente você concretizou.

Não é por acaso que o primeiro exercício do meu curso envolve criar 50 ideias, pra tirar o aluno da zona de conforto. Porém, logo depois, o aluno precisa começar a cortar, cortar e cortar até ficar com uma última ideia vencedora.

Não importa que ele tenha conseguido pensar em 50 ideias maravilhosas. Ele precisará escolher uma para levar adiante. Uma só. Afinal, a sua criatividade pode ser ilimitada, mas o tempo e a energia que você tem para escrever não são. Sendo assim, é preciso amadurecer e se tornar capaz de fazer escolhas.

É preciso matar 49 ideias para que aquela uma possa ver a luz do dia.

É preciso se comprometer.

Se comprometer com uma ideia.

Se comprometer com um projeto.

Se comprometer com a  sua escrita.

Ideia qualquer um tem. Agora, traduzir ideia em palavras, isso, sim, é coisa de escritor.

Compartilhar agora!

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Posts Recentes

15 livros para quem quer aprender escrita e storytelling

Boa parte da minha formação como storyteller e escritor veio de livros técnicos. É verdade que eu sigo me atualizando...

Você escreveria o seu texto mesmo se tivesse zero visualizações?

Olhar pra sua produção de forma estratégica é um grande diferencial do escritor mais experiente..Saber selecionar assuntos, moldar as frases,...

Quero escrever, mas minha mente está cheia. O que fazer?

Puxa, que ideia genial! Você se senta pra escrever, todo empolgado com essa sua nova ideia. No primeiro dia a...

Escrever é viver no nível mais forte

Quem me segue a mais tempo sabe por que a página tem esse nome, mas acho que nunca parei pra...

Leia esse post e descubra (FINALMENTE) pra que serve o título

Seja na capa de um livro ou no topo de um texto em seu blog, acredito cada vez mais que...

Vale a pena escrever um livro em um mês?

Tenho recebido muitas perguntas questionando a utilidade do NaNoWriMo. Antes de responder, porém, vale explicar o que diabos é isso....

Ninguém é vilão na própria história

Recentemente, no Instagram, falamos sobre o novo filme do Coringa e analisamos alguns pontos de destaque da narrativa. Talvez o...

O seu texto é útil?

A atenção se tornou um dos nossos ativos mais valiosos. Somos, a todo momento, impactados por centenas de informações e...